Palmares: Em votação histórica, Câmara Afasta o Prefeito Altair Júnior por 90 dias.

Na noite desta terça-feira (26), a Câmara de Vereadores dos Palmares, escreveu um capítulo importante na História do Município. Pela primeira vez o chefe do executivo foi afastado pela Casa Manoel Gomes da Cunha.

Tudo começou com o requerimento de abertura de CPI – Comissão Parlamentar de Inquérito, aprovado em outubro de 2018, para investigar possíveis irregularidades nos repasses de empréstimos consignados junto a instituições financeiras. Em seguida o Presidente da Câmara o Vereador Saulo Acioly (PSDB), nomeou a Comissão composta por cinco vereadores, Josias Pereira (PRP), França da Saúde (PSC), Luciano Júnior (PV), Fernando Godoy (MDB) e Andreza Fernanda (PR). Foram quatro meses de muito trabalho, segundo o relatório apresentado pelo relator Vereador Luciano Júnior, por quase duas horas ininterruptas, culminando com o pedido de afastamento do Prefeito por haver cometido diversos crimes de improbidade administrativa apurados e comprovados pela comissão.

Depois da Leitura do Relatório, antes de entrar na discussão do parecer pelo afastamento do Prefeito, o Presidente Saulo Acioly, suspendeu a reunião por alguns minutos, durante esse recesso se ventilou a possibilidade do Vereador João do Pial, solicitar vistas e obstruir a votação. O público presente começou a se manisfestar aos gritos de sim, sim , sim…, numa forma de pressionar o vereador João do Pial.

Ao reiniciar a sessão o Presidente abriu a discussão, que foi interrompida pelo pedido de questão de ordem da Vereadora Andreza Fernanda, que requereu que o relatório fosse votado em regime de urgência, sendo aprovado por unanimidade, impedindo assim que o vereador João do Pial pudesse pedir vistas e obstruir a votação.

Na discussão vários vereadores usaram a tribuna para se colocar favoráveis ao afastamento do Prefeito, numa prova da falta de habilidade do executivo municipal com a câmara, sem articulação junto aos vereadores, colocou as claras a fragilidade política do Prefeito Altair. Ao final o relatório foi aprovado por 13 votos, com a abstenção do Vereador João do Pial e a impossibilidade de votar do Vereador Luciano Júnior por ser o relator.

O Prefeito não contou nem com a defesa de seu Líder na Câmara, o Vereador Toinho Enfermeiro (PSDC), que votou favorável ao afastamento do Prefeito por noventa dias, dando abertura ao Processo de Impeachment.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *